Um Pouco Sobre: Doctor Who


FALA PESSOAL!!! Mais Uma edição de Um Pouco Sobre e hoje falaremos sobre Doctor Who!!

Mas o que é?

Doctor Who é uma série produzida pela emissora britânica BBC e estreou em 1963. De lá pra cá, a série começou a ganhar o status de "A série de ficção mais duradoura da história da TV mundial", mesmo com um hiato entre 1989 e 2005, quando a série voltou a ser produzida. Durante esses 50 anos que serão completados com um episódio especial que vai ao ar esse mês, 11 atores interpretaram o papel do "Doutor", que agora será feito por Peter Capaldi (o 12º doutor), na próxima temporada. Aqui no Brasil ela já foi exibida nos canais People & Arts e TV Cultura, e atualmente está disponivel pelo NOW, serviço exclusivo aos assinantes da NET HD.



A HISTÓRIA
Doctor Who é uma premiada série de ficção científica britânica, produzida e transmitida pela BBC. A série recebeu o reconhecimento da crítica e do público como um dos melhores programas de televisão britânicos, incluindo o British Academy Television Award 2006 de Melhor Série de Drama e por cinco anos consecutivos (2005-10) venceu o National Television Awards, durante o mandato de Russell T Davies como produtor executivo. Em 2011, Matt Smith tornou-se o primeiro Doutor a ser indicado ao BAFTA de Melhor Ator em um papel principal. Em 2013, o Prêmio Peabody honrou Doctor Who com um Peabody institucional de "para a evolução com a tecnologia e as vezes como nada mais no universo televisivo conhecido". O programa está listado no Guinness World Records como a série de ficção científica televisiva de mais longa duração no mundo e como a "mais bem sucedido" série de ficção científica de todos os tempos – com base em seus índices de transmissão global, DVDs, venda de livros, e o tráfego no iTunes. Durante seu funcionamento original, foi reconhecido por suas histórias imaginativas, criativas de baixo orçamento de efeitos especiais e de uso pioneiro de música eletrônica (originalmente produzido pela Oficina Radiofônica da BBC). A série é uma parte significativa da cultura popular britânica, e em outros lugares que se tornou um programa favorito clássico da televisão. O show tem influenciado gerações de profissionais da televisão britânica, muitos dos quais cresceram assistindo a série. O programa originalmente funcionou de 1963 a 1989. Depois de uma tentativa frustrada de retomar a produção normal em 1996 com um piloto secreto na forma de um filme para a televisão, o programa foi relançado em 2005 por Russell T Davies, que era um produtor executivo e escritor chefe nos cinco primeiros anos de seu renascimento, produzidos pela BBC Wales, em Cardiff.

Série 1 no século XXI, com Christopher Eccleston como o nona encarnação do Doutor, foi produzido pela BBC. As série 2 e 3 tiveram algum dinheiro de desenvolvimento contribuído pela Canadian Broadcasting Corporation (CBC), que foi creditado como co-produtor. Doctor Who também gerou spin-offs em várias mídias, incluindo Torchwood (2006) e The Sarah Jane Adventures (2007), ambos criados por Russell T Davies; K-9 (2009), uma série de vídeos divididos em quatro partes chamado P.R.O.B.E (1994) e um único episódio piloto de K-9 and Company (1981). Houve também muitas paródias e referências culturais do personagem em outras mídias. Doze atores já atuaram na série como O Doutor. A transição de um ator para outro é escrito no enredo do show como a regeneração, um processo de vida dos Senhores do Tempo através do qual o personagem do Doutor assume um novo corpo e, de certa forma, nova personalidade, que ocorre quando este sofre uma lesão que seria fatal para a maioria das outras espécies. Apesar de cada interpretação ser diferente, e em algumas ocasiões uma encarnação encontrar outra, elas são pensadas para serem aspectos do mesmo personagem.

Atualmente, O Doutor é interpretado por Peter Capaldi, que assume o papel depois da aparição final de Matt Smith no Especial de Natal exibido em 25 de dezembro de 2013.

Doctor Who apareceu pela primeira vez na televisão pela BBC em 23 de novembro de 1963, seguindo discussões e planos que estavam em curso há um ano. O Chefe da divisão de Dramas, o canadense Sydney Newman, foi o principal responsável pelo desenvolvimento do programa, com o primeiro formato documentado para a série ser escrita por Newman, juntamente com o Chefe do Departamento de Script (mais tarde chefe de Publicações Periódicas) Wilson Donald e o escritor pessoal C.E. Webber. O escritor Anthony Coburn, o editor de histórias David Whitaker e a produtora inicial Verity Lambert também contribuíram fortemente para o desenvolvimento da série. O programa foi originalmente concebido para apelar a um público familiar, como um programa educacional com viagens no tempo como um meio para explorar ideias científicas e momentos famosos da história. Em 31 julho de 1963, Whitaker encomendou a Terry Nation que escrevesse uma história com o título de "Os Mutantes". Originalmente os Daleks e Thals foram vítimas de uma bomba de nêutrons alienígena, mas posteriormente Terry Nation abandonou os alienígenas e transformou os Daleks em agressores. Quando o roteiro foi apresentado a Newman e Wilson, foi imediatamente rejeitado, uma vez que o programa não podia conter "monstros de olhos esbugalhados". A primeira série de episódios foi concluída e a BBC acreditava que era crucial que a seguinte fosse um sucesso, no entanto, Os Mutantes foi o único script pronto para ir ao ar e a equipe teve poucas opções a não ser usá-lo. Segundo a produtora Verity Lambert, "Nós não tínhamos muita escolha - tínhamos apenas o episódio dos Dalek... Nós tivemos um pequena crise de confiança porque Donald Wilson foi tão resoluto quanto a não usá-lo. Se tivéssemos algo pronto, teríamos usado." O roteiro de Terry Nation tornou-se a segunda série de episódios de Doctor Who - " Os Daleks" (ou "Os Mutantes"). A série de episódios apresentou os alienígenas de mesmo nome que se tornariam os monstros mais populares da série, e foram responsáveis pela primeira explosão de merchandising da BBC.

A divisão de séries de Drama da BBC produziu 26 temporadas do programa, transmitidos na BBC 1. A queda nos números de espectadores, o declínio na percepção pública do progarama e um espaço de transmissão menos proeminente a produção foi suspensa em 1989 por Jonathan Powell, controlador da BBC 1. Ainda que (como co-estrela da série Sophie Aldred relatou no documentário Doctor Who: Mais de 30 Anos na TARDIS) tenha sido efetivamente, se não formalmente, cancelada com a decisão de não encomendar uma já planejada vigésima sétima temporada do programa para transmissão em 1990, a BBC repetidamente afirmou que a série iria retornar. Ainda que a produção própria estivesse interrompida, a BBC esperava encontrar uma produtora independente para relançar o programa. Philip Segal, um britânico expatriado que trabalhou para para o braço televisivo da Columbia Pictures nos Estados Unidos, havia se aproximado da BBC sobre um tal empreendimento ainda em julho de 1989, enquanto a vigésima sexta temporada da séire ainda estava em produção. As negociações de Segal finalmente levaram a um filme para a televisão de Doctor Who, transmitido pela rede Fox em 1996, como uma co-produção entre a Fox, Universal Pictures, a BBC e BBC Worldwide. Embora o filme tenha sido bem-sucedido no Reino Unido (com 9,1 milhões de espectadores), não foi tão bem nos Estados Unidos, que não levou a uma série. Mídias licenciadas, como romances e peças de áudio disponibilizavam novas histórias, mas um programa de televisão para Doctor Who permaneceu dormente até 2003. Em setembro do mesmo ano,18 a BBC anunciou a produção de uma nova série após vários anos de tentativas pela BBC Worldwide para encontrar apoio para uma versão de longa-metragem. Os produtores executivos da nova encarnação da série foram os escritores Russell T Davies e Chefe de Drama da BBC Cymru Wales, Julie Gardner. Ele foi vendido para muitos outros países em todo o mundo (ver Audiência). Doctor Who finalmente voltou com o episódio "Rose" na BBC One em 26 de março de 2005. Desde então, já foram exibidas seis séries, com especiais entre 2006-2008 e 2010-2012, e episódios especiais do dia de Natal todos os anos desde 2005. Nenhuma série completa foi filmada em 2009, devido a compromissos do ator David Tennant para Hamlet, embora quatro especiais adicionais estrelando Tennant foram feitos. Na Primavera de 201019 Steven Moffat substituiu Davies como escritor principal e produtor executivo. A versão de 2005 de Doctor Who é uma continuação direta da série de 1963-1989, como é o telefilme de 1996. Isso difere de relançamentos de outras séries que ou foram reimaginadas ou reinicializadas (por exemplo, Battlestar Galactica 2004 e Bionic Woman 2007) ou série a ter lugar no mesmo universo como o original, mas em um período diferente e com personagens diferentes (por exemplo, Star Trek: The Next Generation e spin-offs).

A produção original de Doctor Who era realizada com poucos recursos. Cada episódio de 25 minutos era registrado em vídeo (cenas de estúdio) e filme de 16mm (cenas em locação). A maquiagem, cenários e efeitos visuais eram precários, quase amadorísticos, mas a série fez enorme sucesso na Inglaterra graças, principalmente, aos roteiros criativos que colocavam O Doutor e seus amigos em mirabolantes aventuras que aconteciam em diversos locais do espaço e do tempo. A série iniciou como um programa educacional para crianças, onde O Doutor conhecia figuras famosas do passado e participava de fatos históricos. Mas em breve passaram a predominar as aventuras de ficção científica onde os heróis encontravam estranhas civilizações e criaturas extraterrestres. Normalmente um grupo de episódios formava um seriado ou história completa, e cada temporada era composta por alguns desses seriados. Em 1989, a BBC suspendeu Doctor Who, mesmo ainda com uma boa audiência, sob a alegação de que haveria apenas um hiato maior entre a 26ª e a 27ª temporada. Na verdade, a BBC estava diante de um impasse - frente a outras séries contemporâneas de ficção científica norte-americanas, de produção bem mais sofisticada, Doctor Who não tinha como competir com elas tecnicamente, e para enfrentar a concorrência seu orçamento teria de ser multiplicado. Como a BBC à época era comandada por executivos que não gostavam muito de ficção científica e que optaram por não liberar os recursos necessários, a série entrou num limbo do qual saiu apenas em 1996, com a tentativa frustrada de trazê-la de volta numa parceria com a Fox e a Universal. Apesar de sofisticado, o telefilme foi considerado americanizado demais.

Finalmente em 2005 a BBC do País de Gales trouxe de volta a série, com um nível de produção muito superior ao da original. A versão atual possui um orçamento que permite a utilização de elaboradas maquiagens e efeitos em computação gráfica (CGI). Cada nova temporada é composta por 13 episódios de 45 minutos e um especial de Natal com 60 minutos, gravados em vídeo de alta definição e posteriormente passados para película de 35mm. Exceto pelos especiais, os 13 episódios, ainda que muitas vezes contando histórias autônomas, fazem parte de um arco que é desenvolvido ao longo da temporada. Cada temporada tem trazido de volta pelo menos um inimigo clássico do Doutor - já tivemos a volta, entre outros, dos Daleks, dos Cybermen, dos Silurians e do Mestre(Master). Na sexta temporada a equipe de produção não pretende trazer nenhum inimigo da série clássica.


A personagem do "O Doutor" está sempre envolta em mistério. No início da série, apenas se sabia que ele era um extraterrestre viajante e excêntrico, com um grande conhecimento sobre as mais variadas matérias, que combatia as injustiças que encontrava ao explorar o Universo na sua nave espacial TARDIS. TARDIS é uma abreviatura para Time And Relative Dimensions In Space (Tempo e Dimensões Relativas No Espaço). A TARDIS é maior por dentro do que por fora, e, devido a uma avaria permanente num circuito, a sua aparência exterior assemelha-se à de uma cabine da polícia londrina dos anos 60. Eventualmente descobre-se que a figura sinistra e misteriosa do "Doctor" é uma espécie de renegado da sua própria espécie, os "Time Lords" ("Senhores do Tempo"), oriundos do planeta "Gallifrey" na constelação de Kasterborous. Sendo um "Senhor do Tempo", "O Doutor" tem a capacidade de regenerar o seu corpo, como forma de evitar a morte. Este conceito foi introduzido em 1966, quando os argumentistas se confrontaram com a partida do ator principal William Hartnel, como forma de prolongar a série. Desde então tem sido uma característica definidora da série, sendo utilizada sempre que é necessário substituir o ator principal. Contudo, foi estabelecido num episódio que um Senhor do Tempo apenas pode regenerar 12 vezes, a um total de 13 encarnações (apesar de ser possível contornar a situação). Até à data, "O Doutor" passou por este processo onze vezes, tendo cada uma das suas encarnações o seu estilo e particularidades, mas partilhando as memórias, a experiência e o seu sentido de moral: Outros atores também interpretaram "O Doutor" em outras histórias, como é o caso de Rowan Atkinson, contudo estas não são consideradas canónicas tanto pelos fãs, como pela própria BBC. Ao longo da história da série várias revelações, algumas controversas, foram realizadas acerca do "Doutor". Por exemplo, que o Primeiro Doutor pode não ser a primeira incarnação do Doutor; que O Doutor é mais que um simples Senhor do Tempo, podendo ser "meio humano" por parte da mãe (apesar de esta afirmação ser altamente contestada). No primeiro episódio da série é revelado que o "Doutor" tem uma neta, Susan Foreman, e, na temporada de 2006, é o próprio Doutor quem afirma que já foi pai. Em 2005 é revelado que o Nono Doutor é o último sobrevivente da sua raça, e que o seu planeta foi destruído em um evento conhecido como a Última Grande Guerra do Tempo, cujo trágico desfecho teve participação direta do Doutor, mas é descoberto mais um senhor do tempo, um velho amigo do doutor O mestre. Para impedir os Senhores do Tempo de causar a destruição do Universo e do tempo em si (tornando-os criaturas de pura consciência e sem corpo físico apenas para escapar da guerra), o Doutor criou um bloqueio temporal em torno da guerra e causou a destruição de Gallifrey, tornando impossível que alguém voltasse no tempo para impedir tal desfecho. Ao fim da guerra, O Doutor acreditava ter extinguido não apenas a sua raça, mas também os Daleks, considerados por ele "a espécie mais maléfica de toda criação". No entanto, descobre-se em 2005 que alguns Daleks, incluindo o Dalek-Imperador, sobreviveram à guerra.

O Doutor Interpretado por
01) William Hartnell 1963–66
02) Patrick Troughton 1966–69
03) Jon Pertwee 1970–74
04) Tom Baker 1974–81
05) Peter Davison 1981–84
06) Colin Baker 1984–86
07) Sylvester McCoy 1987–89, 1996
08) Paul McGann 1996
??) Jonh Hurt 2013
09) Christopher Eccleston 2005
10) David Tennant 2005-10
11) Matt Smith 2010–13
12) Peter Capaldi 2013-?

Companheiros
O Doutor Desde 1963 mais de 35 atores foram apresentados nestes papéis. Os Acompanhantes originais do Primeiro Doutor eram sua neta Susan Foreman (Carole Ann Ford) e os professores Barbara Wright (Jacqueline Hill) e Ian Chesterton (William Russell). A única história da série clássica em que O Doutor viaja sozinho é no arco 088 da 14ª Temporada, "The Deadly Assassin" O Doutor regularmente ganha novos companheiros e perde os antigos, às vezes eles voltam para casa, tem a memória apagada ou encontram novas causas - ou se apaixonam - em outros mundos e alguns morrem durante o curso da série. Apesar de não ser considerado um acompanhante, o Brigadeiro Lethbridge-Stewart (Nicholas Courtney) era um personagem recorrente na série clássica, aparecendo pela primeira vez ao lado do Segundo Doutor e continuou fazendo aparições ao lado do Terceiro, Quarto, Quinto e Sétimo Doutores. Em 2011 no episódio da sexta temporada, "The Wedding of River Song" é dito que o Brigadeiro morreu tranquilamente em seu sono. Nicholas Courtney faleceu no início de 2011. Da mesma forma, River Song (Alex Kingston) tornou-se uma personagem recorrente da série atual. Ela é uma personagem ambígua com o conhecimento do futuro do Doutor. Ela apareceu pela primeira vez em "Silence in the Library", junto com o Décimo Doutor (David Tennant), e seu papel tem aumentado desde "The Time of Angels". Em "The Wedding of River Song", River e O Doutor se casaram, em uma linha de tempo alternativa, no entanto tanto O Doutor e River se consideram marido e mulher. Amy Pond (Karen Gillan) e Rory Williams (Arthur Darvill) deixaram a série no quinto episódio da sétima temporada, transmitido no dia 29 de setembro de 2012 e a nova acompanhante do Doutor, Clara (Jenna-Louise Coleman) foi introduzida no primeiro episódio da sétima temporada (Asylum of the daleks), no dia 1 de setembro de 2012, voltando a ser "apresentada" no especial de Natal de 2012 e a partir do 6º episódio da 7ª Temporada.


Elenco Principal (2005-2014)
1ª - 4ª Temporada (2005 - 2009)
Christopher Eccleston como o 9º Doutor
David Tennant como o 10º Doutor
Billie Piper como Rose Tyler
Catherine Tate como Donna Noble
Freema Agyeman como Martha Jones
John Barrowman como Capitão Jack Harkness
Noel Clarke como Mickey Smith
Camille Coduri como Jackie Tyler

5ª - 7ª Temporada (2010 - 2013)
Matt Smith como o 11º Doutor
Karen Gillan como Amy Pond
Arthur Darvill como Rory Williams
Jenna-Louise Coleman como Clara Oswald
Alex Kingston como River Song
James Corden como Craig Owens
Neve Mcintosh como Vastra
Catrin Stewart como Jenny Flint
Dan Starkey como Strax

8ª Temporada (2014)
Peter Capaldi como 12º Doutor
Jenna-Louise Coleman como Clara Oswald

Fonte: Wikipedia

Postagens mais visitadas